Não foi Joesley quem primeiro revelou a posição de Michel Temer na orcrim de Lula

Diferente do que muitos pensam, não foi Joesley Batista o iniciador do inferno de Temer, uma vez que tudo começou com as delações dos colaboradores da Odebrecht, em que o presidente Michel Temer foi várias vezes citado.

Destaca-se a citação do presidente feita pelo colaborador Cláudio Melo Filho, que relatou o papel exercido por Michel Temer na organização criminosa de Lula, além de explicitar sua atuação específica na Câmara dos Deputados como captador de recursos ilícitos para o PMDB, seus correligionários e para si próprio.

Relato de Cláudio Melo Filho, ex-executivo da Odebrecht, em colaboração premiada

Relato de Cláudio Melo Filho, ex-executivo da Odebrecht, em colaboração premiada

Relato de Cláudio Melo Filho,ex-executivo da Odebrecht, em colaboração premiada

A colaboração premiada de Joesley Batista confirma a colaboração premiada do ex-executivo da Odebrecht, Michel Temer é o chefe da célula da organização criminosa de Lula da Silva que atua na Câmara.

“O Temer é o chefe da Orcrim da Câmara. Temer, Eduardo, Geddel, Henrique, Padilha e Moreira. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muita perigosa”, afirmou Joesley Batista.

É preciso esclarecer que a complexa organização criminosa, instituída e liderada por Lula da Silva, está dividida em várias células ou núcleos, entre elas se destaca a célula do PMDB, liderada por José Sarney, que se subdivide em dois grandes grupos, dos que atuam no Senado Federal e dos que atuam na Câmara dos Deputados.

Ocorre que, como já foi exaustivamente tratado em outras postagens deste site, com os avanços da Operação Lava Jato, que se aproxima mais e mais da cúpula da organização criminosa e já alcançou o seu comandante máximo, além de outros membros importantes, foi necessário alçar Michel Temer à Presidência da República para substituir Dilma Rousseff, que havia perdido totalmente a capacidade para destruir a Lava Jato.

Michel Temer foi feito Presidente da República com as bênçãos de Lula da Silva para estancar a Operação Lava Jato e ilegitimamente convocar uma Assembleia Nacional Constituinte em 2018 para destruir o Estado e fundar outro que concederia anistia a todos os envolvidos nos crimes investigados pela Operação Lava Jato.

Então, foi realizado um grande acordo nacional envolvendo todos os implicados nos crimes investigados pela Operação Lava Jato, inclusive com o Supremo, para garantir a impunidade de todos, a Solução Michel.

Assim foi feito, Michel Temer tornou-se Presidente da República e desde o primeiro instante em que ocupa o cargo, desde ainda a interinidade, quando ocorria o processo de impeachment de Dilma Rousseff, tem voltado seus atos para estancar a Operação Lava Jato e executar os planos com os objetivos estabelecidos pela orcrim.

Contudo, Michel Temer, Lula da Silva, José Sarney, Eduardo Cunha, Eliseu Padilha, Romero Jucá, Renan Calheiros, Moreira Franco, Henrique Meirelles, Dilma Rousseff, Fernando Henrique Cardoso, Aécio Neves, José Serra e tantos outros membros da orcrim, não contavam com as colaborações premiadas, em especial, as colaborações de Sérgio Machado, Delcídio do Amaral, dos executivos da Odebrecht e da J&F, que revelaram, com detalhes e provas, o grande esquema criminoso liderado por Lula para destruir o Brasil, garantir a impunidade a todos os envolvidos nos crimes e manter os membros da orcrim no poder.

É estarrecedor.

 

Anúncios

Comente aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: